A Seleção Brasileira Feminina Sub-20 está nas quartas de final do Mundial da Papua-Nova Guiné e enfrentará o Japão, na quinta-feira (24), às 7h30 de Brasília, para definir quem avança à semifinal do campeonato.

O técnico do Brasil, Doriva Bueno, assumiu o comando da equipe em maio de 2014, às vésperas da Copa do Mundo Sub-20, que foi disputada no Canadá. Naquela competição, a Seleção caiu no considerado "grupo da morte", com China, Estados Unidos e Alemanha. Foi um empate e duas derrotas.

Depois da disputa, o treinador teve que reformular o grupo, já que todas completavam 20 anos naquele ano, com exceção de Julia Bianchi, que está na Papua-Nova Guiné. Com a saída precoce, Doriva aprendeu muito e trouxe novas ideias para a Seleção Sub-20.

O grupo de 2016 tem, por exemplo, cinco meninas com idade para disputar o Mundial de 2018 – Geyse, Luana, Katrine, Victória e a goleira Stefane. Além disso, junto com seu preparador físico, Juninho Brilhante, colocou como prioridade o desenvolvimento físico das atletas até a competição. Sem, claro, esquecer do trabalho tático. É exatamente com essa obediência tática que ele espera vencer o Japão, adversário das quartas.

– Conquistamos o primeiro passo, que era classificar. O que a gente programou para o jogo da Suécia conseguimos fazer. Agora, contra o Japão, acredito que se tivermos obediência, se cumprirmos o que for estabelecido e elas estiverem concentradas, podemos vencer. A segunda fase é um novo campeonato, uma partida só. Não podemos perder nenhum detalhe – avaliou o treinador. 

Nesta quarta (23), Doriva comanda o último treino antes do confronto com o Japão. Será o conhecimento do gramado do National Football Stadium, em que poderá definir a equipe que começará jogando.

– A Giovanna já cumpriu a suspensão e estará à disposição, temos que observar a Katrine que saiu machucada do jogo contra a Suécia. Enfim, temos mais um dia para definir a equipe, mas a certeza é que vamos precisar de todas para conseguir a nossa classificação na semifinal – concluiu.