Uma campanha para ninguém colocar defeito. Desde a estreia neste Sul-Americano Sub-17 do Chile, a Seleção Brasileira apresentou um futebol ofensivo, o coletivo muito forte e invidualidades determinantes. O crescimento ao longo da competição pôde ser observado claramente.

Abaixo vamos relembrar a campanha que terminou com 24 gols marcados, apenas três sofridos, sete vitórias e dois empates. Melhor ataque, melhor defesa... Os números não deixam dúvidas de que o Brasil foi merecedor de mais esta taça.

BRASIL 3 x 0 Peru - A estreia

Um começo avassalador. Foram precisos 45 minutos de jogo para o Brasil mostrar a que veio neste Sul-Americano. Com gols de Lincoln, Vinícius Jr. e Marcos Antônio, a Seleção fez 3 a 0 no Peru ainda na primeira etapa. O resultado já colocou a equipe na liderança do Grupo B logo de cara.

BRASIL 1 x 0 Venezuela - Golaço de Paulinho

Contra a Venezuela, na segunda rodada, o Brasil encontrou mais dificuldades do que na estreia. O adversário também vinha de vitória e deu trabalho ao time de Carlos Amadeu. Mas foi aí que a individualidade apareceu. O atacante Paulinho, que já havia tido uma boa exibição contra o Peru, acertou um belo chute de fora da área e fez um golaço. 

BRASIL 1 x 1 Paraguai - Classificação antecipada

Após folgar na terceira rodada, o Brasil voltou a campo para seu terceiro jogo no Sul-Americano. Não foi uma boa partida da Seleção, mas o empate garantiu a classificação antecipada para o hexagonal final, o que foi determinante para o planejamento da comissão técnica. O gol brasileiro foi marcado por Vinícius Jr. em belo chute por cobertura.

BRASIL 2 x 0 Argentina - Elenco forte

Com a classificação para o hexagonal final assegurada, o técnico Carlos Amadeu optou por dar oportunidade aos jogadores do elenco que não haviam iniciado uma partida. Com o time totalmente modificado, ele viu sua equipe bater a Argentina por 2 a 0 e garantir a liderança isolada do Grupo B. Yuri Alberto e Brenner marcaram os gols. O rodízio ainda serviu para descansar o restante do grupo.

BRASIL 2 x 2 Paraguai - Empate amargo

O Paraguai já havia demonstrado ser um adversário difícil de ser batido na primeira fase, mas o primeiro tempo da Seleção Brasileira empolgou tanto que parecia vir uma goleada pela frente. Com dois gols de Lincoln, o Brasil aproveitou a melhora considerável de gramado para apresentar o seu melhor estilo. No entanto, perder a concentração nos minutos finais foi fatal, e os paraguaios conseguiram o empate, que acabou tendo sabor de derrota.

BRASIL 4 x 0 Venezuela - Baile à brasileira

Desta vez sem contratempos, a Seleção Brasileira jogou o fino do futebol. Dois gols em cada tempo, e a demonstração de que havia aprendido rapidamente com seus próprios erros. Soube controlar a posse de bola e não deu chances para a Venezuela se recuperar na partida. Uno, contra, e Lucas Halter balançaram as redes na primeira etapa. Vinícius Jr. e Yuri Alberto fecharam a conta.

BRASIL 3 x 0 Equador - Dia de Vinícius Jr.

Costuma-se dizer no futebol que o individual aparece quando o coletivo é forte. Pois foi exatamente isso que aconteceu. Em mais uma partida impecável da Seleção Brasileira, brilhou a estrela do atacante Vinícius Jr. Os dois primeiros gols saíram de seus pés, enquanto o terceiro, de Lincoln, também contou com sua contribuição. Ele jura que tocou, o companheiro de ataque diz que ele chutou, mas o que interessa é que a bola morreu no fundo das redes equatorianas.

BRASIL 3 x 0 Colômbia - Mundial garantido e camisa 10 sendo 10

Nem precisou entrar em campo e o Brasil já tinha a vaga no Mundial da Índia assegurada por conta dos resultados das outras seleções. Com o primeiro objetivo alcançado, a Seleção partiu firme em busca do segundo, que era o título. Com uma atuação digna da camisa que ele veste, a 10, Alan ditou o ritmo da partida. Deixou Vinícius Jr. na cara para marcar os dois primeiros gols do jogo e ainda cobrou escanteio na cabeça de Alerrandro, que deu números finais ao jogo.

BRASIL 5 x 0 Chile - Título com goleada

Decisão de campeonato é um jogo pegado, tenso, duro e muito difícil. A partida contra o Chile, que definiria o campeão sul-americano, tinha tudo para ser assim, não fosse a tranquilidade e a qualidade coletiva da equipe comandada pelo técnico Carlos Amadeu. Foram cinco gols marcados em cima dos donos da casa, um futebol bonito e envolvente. O título coroou toda a campanha e a dedicação dos jogadores e dos integrantes da comissão técnica.