Jogos com menos de 48 horas de intervalo entre um e outro, nove partidas em 25 dias e duelos de muito desgaste físico. O Sul-Americano Sub-17 é uma competição que exige um grupo de jogadores de qualidade e pronto para dar conta do recado a qualquer momento. Justamente o que tem acontecido com esta Seleção Brasileira.

Com a entrada do goleiro Arthur Gazze na vitória por 3 a 0 em cima da Colômbia, o técnico Carlos Amadeu conseguiu utilizar os 23 jogadores convocados para a disputa desta competição no Chile. Ele foi o único que não começou como titular em nenhuma partida, mas teve sua oportunidade de entrar no decorrer do jogo na quarta rodada do hexagonal final.

Mais do que dar chances a todos os jogadores, o que o técnico Carlos Amadeu considera fundamental no processo de formação destes atletas que ainda são meninos, quem entrou deu conta do recado.

Para pegar apenas o recorte deste hexagonal final, Yuri Alberto e Alerrandro foram dois atacantes que saíram do banco durante as partidas para balançar as redes. 

Na primeira fase, já com a classificação garantida para a etapa final, Carlos Amadeu mandou a campo um time totalmente diferente das primeiras rodadas. Resultado: vitória por 2 a 0 em cima da Argentina, com gols de Yuri Alberto e Brenner, e eliminação dos "hermanos".

É desta maneira, com todos os 23 jogadores tendo provado sua capacidade de vestir a amarelinha, que a Seleção Brasileira Sub-17 entrará em campo no domingo para disputar o título deste Sul-Americano contra os donos da casa. Brasil e Chile se enfrentam às 22h15 no Estádio El Teniente.