Já se passaram quatro dias de treinamentos em Quito, que somados aos 11 da Granja Comary totalizam 15 dias de trabalhos no campo. Se contar ainda os dias de apresentação, exames e viagens, já são 20 dias de concentração para Seleção Sub-20. Mas quem observa o ambiente dentro da equipe nem percebe o tempo que já passou. Um time concentrado na busca pelo décimo segundo título do Sul-Americano Sub-20, mas com a leveza de meninos de 18, 19 e 20 anos.

Nesta segunda-feira (9), dia em que Rogério Micale comandou mais uma atividade tática no CT do Independiente Del Valle, a intensidade e entrega dos jogadores chamou a atenção. Até para tirar os jogadores do campo ao término da atividade foi difícil, queriam continuar trabalhando as cobranças de falta, mas a carga de exercícios já havia sido atingida e todos entenderam perfeitamente.

O que tem se tornado tradicional, desde os tempos de Granja Comary, é a resenha antes da atividade. Quem conhece o técnico Rogério Micale sabe que ele gosta de falar e de ter uma relação próxima com seus jogadores. Pois é justamente o que acontece diariamente. Antes de utilizar o quadro tático para explicar mais uma vez o treinamento do dia, é comum ele escolher um tema para refletir e dialogar com os atletas.

Não raro, estas conversas terminam em risada e um clima descontraído, que precede o aquecimento que será comandado pelo preparador físico Marcos Seixas na sequência. 

É desta maneira, com clima leve, mas muito trabalho, que a Seleção Sub-20 se prepara para tentar retomar um troféu que o Brasil já levou para casa em 11 oportunidades: 1974, 1983, 1985, 1988, 1991, 1992, 1995, 2001, 2007, 2009 e 2011.

A estreia na competição será no dia 18 de janeiro, contra o Equador, anfitrião da competição. Ainda estão no Grupo A, o do Brasil, Colômbia, Chile e Paraguai.