Há dez anos, em 12 de novembro de 2006, o Brasil vencia o Uruguai por 4 a 1 e conquistava seu primeiro título na Copa do Mundo FIFA, diante de quase 15 mil pessoas que lotaram a arena montada nas areias de Copacabana. Ali começava a dinastia de uma geração que dominou o esporte por muitos anos, conquistando títulos ao redor do mundo, entre eles o tetracampeonato invicto do Mundial chancelado pela FIFA (Dubai-2009 / Marselha-2008 / Rio de Janeiro-2007 / Rio de Janeiro-2006).

O 12 de novembro é especial para o país, mas muito mais especial para os 12 jogadores e quatro membros da comissão técnica que levaram o Brasil a um feito até então inédito. Vinda de um amargo terceiro lugar no ano anterior (a França sagrou-se campeã), e com nove títulos do extinto Campeonato Mundial (2004-2003-2002-2000-1999-1998-1997-1996-1995), a Seleção Brasileira fez uma campanha impecável, vencendo todos os seus jogos com autoridade (foram seis vitórias, com 52 gols marcados e apenas 16 sofridos) e goleou a Celeste na decisão.

Ao todo, são mais de 60 títulos verde-amarelos nas areias, mas as lembranças e memórias tornam aquela conquista de 2006 especial na história da modalidade.

– É um prazer grande, uma satisfação falar daquelas conquistas. Tínhamos um timaço, uma defesa que tomava poucos gols, um ataque muito forte... - falou Júnior Negão, capitão canarinho em 2006. 

– Tenho muitas boas lembranças, lembranças de uma conquista especial com os meus companheiros - falou Sidney. – Éramos um grupo maravilhoso - completou Buru.

– Não teve adversário para a gente. Todos os jogos com goleada, vimos nossos adversários ficarem pelo caminho. A torcida abraçou a equipe - lembra o ex-goleiro Pierre.

– Foi uma emoção muito grande. Viver aquele momento foi muito gratificante, temos histórias até hoje daquele título mundial - falou Mão, eleito ‘Luva de Ouro’ da Copa de Dubai 2009.

Naquele ano, com Daniela Mercury entregando o troféu para a Seleção Brasileira, Benjamin e Bruno Malias também receberam prêmios individuais.

– Falar de 2006 é fácil, é falar de uma galera que veio para conquistar o mundo, de uma geração que se fechou em torno desse objetivo, um grupo muito unido - comentou Malias, ‘Chuteira de Bronze’ e ‘Bola de Bronze’ em 2006.

– Foi inesquecível, um título muito importante para o crescimento do esporte. Nossa seleção era uma família. Aquele título foi uma benção nas nossas vidas - disse Benjamin, ‘Chuteira de Prata’ e ‘Bola de Prata’ em 2006.

Dez anos se passaram e, hoje, o Brasil, sob o comando do técnico Gilberto Costa, se prepara para a disputa do Qualifier Conmebol, que acontece em fevereiro do ano que vem, em Assunção (Paraguai), onde estarão em jogo três vagas para o Mundial de abril, nas Bahamas. Seis países já estão classificados para a Copa do Mundo: Bahamas (sede), Polônia, Suíça, Portugal, Itália e Taiti.

Invicto na temporada 2016, tendo vencido os 17 jogos que disputou e vindo das conquistas do Sul-Americano (janeiro / Vitória-ES), Mundialito de Cascais (julho / Portugal), Mundialito Brasil (outubro / Santos-SP) e Copa Intercontinental, o Brasil busca a quinta taça para se igualar ao futsal e ao futebol de campo, que possuem cinco estrelas no peito.

Campanha - Copa do Mundo FIFA Beach Soccer 2006
Final
Brasil 4 x 1 Uruguai (Benjamin, Buru, Duda e Sidney)
Semifinal
Brasil 7 x 4 Portugal (Sidney (3), Bruno (2), Betinho e Bueno)
Quartas
Brasil 12 x 1 Canadá (Benjamin (3), Júnior Negão (3), Bruno (2), Bueno (2) e Betinho (2))
Primeira Fase
Brasil 10 x 6 Estados Unidos (Benjamin (3), Bruno (3), Júnior Negão (2), Betinho e Buru)
Brasil 10 x 2 Japão (Benjamin (4), Bueno (3), Júnior Negão (2) e Bueno)
Brasil 9 x 2 Polônia (Júnior Negão (2), André (2), Betinho (2), Buru (2) e Benjamin)
Prêmios Individuais
Benjamin (Bola de Prata e Chuteira de Prata)
Bruno Malias (Bola de Bronze e Chuteira de Bronze)

Saiba por onde andam os campeões de 2006
Mão - segue como titular absoluto da Seleção Brasileira, com mais de 250 jogos oficiais e ainda como um dos melhores na posição no mundo
Pierre - segue no meio esportivo, mas trabalhando como comentarista esportivo em emissoras de TV e rádio no Espírito Santo
Duda - é coordenador na secretaria de esportes de Vitória (ES) e possui um projeto social com crianças carentes na cidade
Betinho - coordena um projeto social em Anchieta (ES) ao lado de Bruno Xavier e é o treinador da equipe principal com o objetivo de promover inclusão social
Buru - encerrou a carreira oficialmente no início do ano e hoje trabalha no ramo de exportação em uma multinacional
Anderson - segue em atividade e comanda o projeto social ‘Meninos da Areia’ em Salvador (BA)
Bueno - segue em atividade e possui um centro de treinamento funcional na praia de Copacabana
Júnior Negão - capitão na conquista de 2006, foi técnico do Brasil na Copa do Mundo de 2015 e, atualmente, é coordenador da Seleção Brasileira
Sidney - encerrou a carreira e hoje tem uma loja de alimentação saudável no Rio de Janeiro
Bruno Malias - segue em atividade, além de ser instrutor FIFA e coordenar o projeto da modalidade na Hungria
André - segue em atividade no beach soccer
Benjamin - continua ligado à modalidade, viajando o mundo dando clínicas de beach soccer
Técnico: Alexandre Soares - atualmente, mora nos Estados Unidos, onde está envolvido com projetos de futebol e é também técnico da seleção de Bahamas
Preparador-Físico: Gilberto Costa - é o atual treinador da Seleção Brasileira e está invicto no comando desde que assumiu, no início da temporada 2016
Preparador de Goleiros: Bruno Germano - depois de muitos anos como preparador de goleiros, iniciou a carreira de treinador em 2015
Médico: Dr. Clóvis Munhoz - ex-chefe do departamento médico do futebol do Vasco da Gama, segue clinicando e envolvido com esporte