Natural do Rio Grande do Norte, Antônia iniciou a carreira jogando futsal e agora se destaca nos campos de futebol. Aos 15 anos, a volante foi para São Paulo. Seguiu atuando nas quadras, mas logo migrou para os gramados. Hoje, aos 22 anos e defendendo a equipe do Valinhos (SP), a potiguar conta como foi essa transição e comemora a primeira convocação para a Seleção Brasileira Feminina.

– Por mais que seja um ambiente diferente, tudo acontece dentro do mesmo contexto. A mudança maior dentro de campo é a posição, a questão tática e o tamanho, mas o futebol está dentro de mim. Sendo futsal ou campo, a essência é a mesma. Tudo que eu evoluí, tudo que trabalhei não foi em vão, e isso que me trouxe à Seleção. A partir de agora é preciso evoluir cada vez mais.

Antônia participa da primeira convocação regional da Seleção Feminina, em que Emily Lima chamou meninas do Sul e Sudeste para um período de observação. Pela primeira vez com a amarelinha e já direto na equipe principal, a volante espera ter deixado um bom cartão de visita e, visando os próximos chamados, garante seguir empenhada.

– É um sonho realizado e o mais difícil é ser observada a primeira vez. Uma vez aqui, vão me observar de novo e existe a possibilidade de voltar. Então acho que é isso: trabalhar no meu clube, porque é lá que vão me acompanhar, e dar o meu melhor a cada dia.

Antônia ficará concentrada com a Seleção Feminina até sábado (11), quando encerra a primeira etapa de treinamento da equipe em 2017.