Vaga assegurada, sedes vistoriadas e Copa das Confederações assistida in loco. No quesito futebol, a Copa do Mundo da Rússia para o Brasil já começou faz tempo. Para além das quatro linhas, a Seleção iniciou na última semana um processo de imersão na cultura do país-sede da competição.

Nesta primeira etapa, os membros da comissão técnica da Seleção Brasileira participaram de três aulas sobre história, cultura, geopolítica e também sobre o idioma russo. A ideia é começar a se preparar para o que será vivido durante o Mundial da FIFA.

- Queremos conhecer mais sobre o povo russo, que já sabemos ser bastante plural e agregador. Copa do Mundo não se disputa só dentro de campo. Este é um primeiro passo neste sentido e acho que foram aulas muito proveitosas  - explicou Edu Gaspar, coordenador de Seleções.

Nas primeiras duas aulas, na terça e quinta-feira da última semana, o professor Rômulo Dias, da Cultura Eslava, falou sobre a formação do território russo, dos costumes da população e das características dos mais diversos locais e povos do país.

- Foi muito bacana participar desta iniciativa. Foi um desafio para mim, falar para um público diferente daquele que estou acostumado, mas eles foram alunos muito dedicados e interessados - disse o professor.

Já na segunda-feira (24) desta semana, a manhã foi de aula de russo, literalmente. Apesar de não ser um idioma fácil para os brasileiros, o workshop ministrado pela professora Elizabeth Coelho rendeu bastante aprendizado e, naturalmente, boas risadas entre os participantes. 

- O russo assusta inicialmente, mas depois de algumas aulas o pessoal vai pegar legal, vai conseguir chegar preparado para a Copa do Mundo. O Tite, por exemplo, mostrou facilidade - comentou Elizabeth.

Outra iniciativa da Seleção Brasileira que será lançada nesta semana é a página na rede social VK, a mais popular na Rússia. Daqui até o fim da Copa do Mundo, fotos e vídeos especiais serão publicados ali.