Um chute certeiro, um golaço, e Philippe Coutinho abriu o placar para a Seleção em jogo disputado no Brasil. Essa poderia ser a descrição da partida contra a Argentina, em novembro de 2016, mas não é. Trata-se do primeiro gol do confronto com o Paraguai, na noite desta terça-feira (28), na Arena Corinthians.

O lance foi até parecido, mas do outro lado do campo. Ele também trouxe da ponta para o meio, mas pela esquerda. Desta vez, ele não partiu sozinho, contou com belo passe de Paulinho. Foi outro belo gol, mas, em vez de um chute forte, foi um toque colocado, de canhota.

Essa tabelinha com infiltração do Paulinho para auxiliar a progressão do Coutinho foi bastante treinada. Assim como as finalizações. Sylvinho, com seu trabalho de bolas curtas dentro da área e o Desafio do Taffarel, que coloca os jogadores em situação de pressão contra os goleiros, são exemplos disso.

– No jogo você pode ter apenas uma chance dessas. Tem que fazer – costuma gritar o auxiliar Sylvinho.

Foi o que fez Coutinho. Aproveitou a chance que criou e guardou o primeiro do Brasil contra o Paraguai.