Uma pintura. Não tem outra definição para o golaço de Philippe Coutinho, o segundo do Brasil na vitória desta quinta-feira (31) em cima do Equador, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

Começou com a arrancada do camisa 11, que deixou para trás três defensores e deu um passe estilo futsal para Gabriel Jesus. Coutinho arrastou o pé na grama e levantou a bola por cima da zaga para achar o atacante dentro da área.

Aí foi a vez de Jesus pincelar o quadro que já tinha um rascunho. Ele puxou um balão quase na pequena área e teve inteligência para completar com um toque de cabeça para quem entrava em velocidade pelo meio.

Quem entrava era Coutinho, que apareceu como um foguete e assinou a obra de arte. Tocou para o fundo das redes e ampliou para a Seleção Brasileira, que chega a 11 vitórias em 12 jogos sob o comando do técnico Tite.